Sábado, 21 de Março de 2009

Quero apenas cinco coisas

 

 

Quero apenas cinco coisas…

Primeiro é o amor sem fim

A segunda é ver o Outono

A terceira é o grave Inverno

Em quarto lugar o Verão

A quinta coisa são teus olhos

Não quero dormir sem teus olhos.

Não quero ser... sem que me olhes.

Abro mão da Primavera para que continues me olhando.

 

Pablo Neruda

 

publicado por Lagash às 13:11
link | comentar | favorito
Domingo, 8 de Fevereiro de 2009

Os teus pés

 

 

Quando não posso contemplar teu rosto,

contemplo os teus pés.

 

Teus pés de osso arqueado,

teus pequenos pés duros.

 

Eu sei que te sustentam

e que teu doce peso

sobre eles se ergue.

 

Tua cintura e teus seios,

a duplicada purpura

dos teus mamilos,

a caixa dos teus olhos

que há pouco levantaram voo,

a larga boca de fruta,

tua rubra cabeleira,

pequena torre minha.

 

Mas se amo os teus pés

é só porque andaram

sobre a terra e sobre

o vento e sobre a água,

até me encontrarem.

 

Pablo Neruda

 

publicado por Lagash às 16:02
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009

Quem morre

 

(barco abandonado - desconheço o autor da foto) 

 

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve

música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se

deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do habito,

repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de

marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com

quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro

sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento de um

redemoinho de emoções justamente as que resgatam o brilho dos

olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o

seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir

atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na

vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má

sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projecto antes de iniciá-lo,

não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde

quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar

vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de

respirar.

Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio

esplêndido de felicidade.

 

Pablo Neruda

 

publicado por Lagash às 16:22
link | comentar | ver comentários (5) | favorito
Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

O insecto

 

 

Das tuas ancas aos teus pés
quero fazer uma longa viagem.

 

Sou mais pequeno que um insecto.
Percorro estas colinas,
são da cor da aveia,
têm trilhos estreitos
que só eu conheço,
centímetros queimados,
pálidas perspectivas.
Há aqui um monte.
Nunca dele sairei.
Oh que musgo gigante!
E uma cratera, uma rosa
de fogo humedecido!

 

Pelas tuas pernas desço
tecendo uma espiral
ou adormecendo na viagem
e alcanço os teus joelhos
duma dureza redonda
como os ásperos cumes
dum claro continente.

 

Para teus pés resvalo
para as oito aberturas
dos teus dedos agudos,
lentos, peninsulares,
e deles para o vazio
do lençol branco
caio, procurando cego
e faminto teu contorno
de vaso escaldante!

 

Pablo Neruda

 

publicado por Lagash às 16:08
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 3 de Março de 2008

Vive hoje!

Morre lentamente quem não viaja,quem
não lê, quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente
quem destroi o seu amor próprio
quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
quem se transforma em escravo do hábito
repetindo todos os dias os mesmos trajectos,
quem não muda de marca,
não arrisca a vestir uma nova cor,
ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
quem evita uma paixão e o seu redemoinho de emoções
justamente as que resgatam o brilho dos olhos
e os corações aos tropeços.

Morre lentamente
quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho,
ou amor
que não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Viva hoje!
Arrisque hoje!
Faça hoje!
Não se deixe morrer lentamente.
Não se esqueça de ser feliz.
 


Pablo Neruda

publicado por Lagash às 13:10
link | comentar | favorito

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Quero apenas cinco coisas

Os teus pés

Quem morre

O insecto

Vive hoje!

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

blogs SAPO

subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub