Quarta-feira, 5 de Agosto de 2009

Beijo

 

 

Um beijo em lábios é que se demora

e tremem no de abrir-se a dentes línguas

tão penetrantes quanto línguas podem.

Mas beijo é mais. É boca aberta hiante

para de encher-se ao que se mova nela.

E dentes se apertando delicados.

É língua que na boca se agitando

irá de um corpo inteiro descobrir o gosto

e sobretudo o que se oculta em sombras

e nos recantos em cabelos vive.

É beijo tudo o que de lábios seja

quanto de lábios se deseja.

 

Jorge de Sena

 

publicado por Lagash às 16:25
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 19 de Junho de 2009

Invenção

 

("Maja desnuda" de Goya) 

 

 

Se é por mim que traço

o teu retrato,

a sobrancelha, a boca

o pensamento

 

É por ti, também

que já o guardo

e o demoro naquilo que eu

invento

 

A mão descida ali

o ombro inclinado

 

Os dedos descuidados

o gesto de que me lembro

 

Se é por mim que faço

o teu retrato

dizendo de ti mais do que

entendo

 

É por ti que o testemunho

e faço:

o nariz, a face dissimulando os dentes

 

Deixo para o fim os lábios

os olhos deste mar

com a cor do luar

a meio de Agosto

 

Se desvendo de ti o sol-posto

é porque vejo o coração

amar

e nada mais me dá tamanho gosto

 

Maria Teresa Horta

 

publicado por Lagash às 16:15
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

Nas ervas

 

(Debora Salvalaggio)

 

Escalar-te lábio a lábio,

percorrer-te: eis a cintura

o lume breve entre as nádegas

e o ventre, o peito, o dorso

descer aos flancos, enterrar

 

os olhos na pedra fresca

dos teus olhos,

entregar-me poro a poro

ao furor da tua boca,

esquecer a mão errante

na festa ou na fresta

 

aberta à doce penetração

das águas duras,

respirar como quem tropeça

no escuro, gritar

às portas da alegria,

da solidão.

 

porque é terrivel

subir assim às hastes da loucura,

do fogo descer à neve.

 

abandonar-me agora

nas ervas ao orvalho -

a glande leve.

 

Eugénio de Andrade

publicado por Lagash às 16:17
link | comentar | favorito
Sábado, 31 de Janeiro de 2009

Soneto

 

(foto retirada da internet - desconheço o autor) 

 

Lábios

que encontram outros lábios

num meio de caminho, como peregrinos

interrompendo a devoção, nem pobres

nem sábios numa embriaguez sem vinho:

 

que silêncio os entontece quando

de súbito se tocam e, cegos ainda,

procuram a saída que o olhar esquece

num murmúrio de vagos segredos?

 

É de tarde, na melancolia turva

dos poentes, ouvindo um tocar de sinos

escorrer sob o azul dos céus quentes,

que essa imagem desce de agosto, ou

setembro, e se enrola sem desgosto

no chão obscuro desse amor que lembro.

 

Nuno Júdice

publicado por Lagash às 16:22
link | comentar | favorito
Sábado, 27 de Dezembro de 2008

Entre os teus lábios

 

("Lábios" de Sara Amaral - mais fotos da autora em www.olhares.com/Domaris ) 

 

Entre os teus lábios

é que a loucura acode,

desce à garganta,

invade a água.

 

No teu peito

é que o pólen do fogo

se junta à nascente,

alastra na sombra.

 

Nos teus flancos

é que a fonte começa

a ser rio de abelhas,

rumor de tigre.

 

Da cintura aos joelhos

é que a areia queima,

o sol é secreto,

cego o silêncio.

 

Deita-te comigo.

Ilumina meus vidros.

Entre lábios e lábios

toda a música é minha.

 

Eugénio de Andrade

 

publicado por Lagash às 16:25
link | comentar | favorito
Domingo, 9 de Novembro de 2008

Eu gostaria tanto…

 

(foto retirada da internet - desconheço o autor) 

 

Eu gostaria tanto,

de deitar minha cabeça

no teu colo,

pra voar nas asas

dos teus sonhos

e mergulhar no oceano

das tuas vontades.

Eu gostaria tanto,

de me embriagar

no cheiro do teu corpo,

de me queimar nas labaredas

dos teus lábios

e me banhar na poesia

dos teus olhos.

Eu gostaria tanto,

de te arrancar dos braços

do teu mundo

e convidar o raio

de uma estrela

para pintar azul

no chão da nossa rua.

Eu gostaria tanto,

das minhas mãos

brincando em teus cabelos,

até que o véu da noite se rasgasse

e o teu sorriso amanhecesse em mim.

 

Carlos Magno de Almeida

 

publicado por Lagash às 16:24
link | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 18 de Agosto de 2008

Aurora / Menina dos olhos de água

 

 

Aurora

 

Nascido do frio e da vertigem

um teimoso sol desponta em cada madrugada

com esse sol renasce também em cada homem

a esperança de um dia novo

distinto

absoluto e diferente

em que tudo pudesse acontecer

pela primeira vez

enchem-se então os olhos de espanto e de memória

e rebenta-nos uma saudade enorme do futuro

e uma sede tranquila de infinito

e em cada novo dia reaprendemos o ciclo

e em cada novo dia nos apaixonamos

e desistimos

e ressuscitamos

do enorme chão de água que nos cerca


Pedro Barroso (lido por Mário Viegas)

 

 

Menina dos olhos de água

 

Menina em teu peito sinto o tejo
E vontades marinheiras de aproar
Menina em teus lábios sinto fontes
De água doce que corre sem parar
Menina em teus olhos vejo espelhos
E em teus cabelos nuvens de encantar
E em teu corpo inteiro sinto feno
Rijo e tenro que nem sei explicar
Se houver alguém que não goste
Não gaste, deixe ficar
Que eu só por mim quero te tanto
Que não vai haver menina para sobrar
Aprendi nos 'esteiros' com soeiro
E aprendi na 'fanga' com redol
Tenho no rio grande o mundo inteiro
E sinto o mundo inteiro no teu colo
Aprendi a amar a madrugada
Que desponta em mim quando sorris
És um rio cheio de água lavada
E dás rumo à fragata que escolhi
Se houver alguém que não goste
Não gaste, deixe ficar
Que eu só por mim quero te tanto
Que não vai haver menina para sobrar

 

Pedro Barroso

 

publicado por Lagash às 16:08
link | comentar | favorito

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Beijo

Invenção

Nas ervas

Soneto

Entre os teus lábios

Eu gostaria tanto…

Aurora / Menina dos olhos...

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

blogs SAPO

subscrever feeds