Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

Dor

 

 

Que faz haver dor dentro de nós?

Impulsos externos ou internos

Ou ambos…

Seja excruciante

Irritante

Lancinante

Relaxante

Ou outra que a nós perante

Nos faça andar aos tombos,

Curvar o corpo, gritar aos infernos!

Queremos que nos deixe sós…

 

Porque razão existe, eis a questão!

É necessário encontrar a origem

O ponto fulcral…

Seja hereditária

Necessária

Diária

Embrionária

Ou outra de origem revolucionária

Seja de que sítio venha o mal,

Acabemos com as coisas que nos afligem!

Abandonar o sofrimento é a nossa obrigação…

 

O ponto a ver como remediar

Iluministica ou empiricamente

É premente a acção…

Seja interventiva

Coerciva

Evasiva

Invasiva

Ou outra pura e simplesmente passiva

Sem duvida temos que lhe por a mão

De uma forma brusca ou suavemente

Não há maneira de evitar

 

Pensaremos porém, sempre

Que outro remédio podia ter sido melhor

Mas o que é certo é mesmo que não…

Tenha matado

Estropiado

Invalidado

Inabilitado

Ou por outra forma adulterado

A verdade é que usando a razão

Não agir quando tortura o sofredor

É bem pior e é demente.

 

Mário L. Soares

 

publicado por Lagash às 16:13
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

Mais que o teu corpo

 

(Anne Hathaway) 

 

Mais que o teu corpo quero o teu pudor

quero o destino e a alma e quero a estrela

e quero o teu prazer e a tua dor

o crepúsculo e a aurora e a caravela

para o amor que fica além do amor.

 

A alegria e o desastre e o não sei quê

de que fala Camões e é como água

que dos dedos se escapa e só se vê

quando o prazer se torna quase mágoa.

 

Estar em ti como quem de si se parte

e assim se entrega e dando não se dá

quero perder-me em ti e quero achar-te

como num corpo o corpo que não há.

 

Manuel Alegre

 

publicado por Lagash às 16:23
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 7 de Maio de 2009

Quantas vezes, Amor, me tens ferido?

 

 

Quantas vezes, Amor, me tens ferido?

Quantas vezes, Razão, me tens curado?

Quão fácil de um estado a outro estado

O mortal sem querer é conduzido!

 

Tal, que em grau venerando, alto e luzido,

Como que até regia a mão do fado,

Onde o Sol, bem de todos, lhe é vedado,

Depois com ferros vis se vê cingido:

 

Para que o nosso orgulho as asas corte,

Que variedade inclui esta medida,

Este intervalo da existência à morte!

 

Travam-se gosto e dor; sossego e lida;

É lei da natureza, é lei da sorte,

Que seja o mal e o bem matiz da vida.

 

Manuel Maria Barbosa du Bocage

 

publicado por Lagash às 16:28
link | comentar | favorito
Terça-feira, 9 de Setembro de 2008

Erros meus, má fortuna, amor ardente

 

 

Erros meus, má fortuna, amor ardente
Em minha perdição se conjuraram;
Os erros e a fortuna sobejaram,
Que pera mim bastava amor somente.

 

Tudo passei; mas tenho tão presente
A grande dor das cousas que passaram,
Que as magoadas iras me ensinaram
A não querer já nunca ser contente.

 

Errei todo o discurso de meus anos;
Dei causa [a] que a Fortuna castigasse
As minhas mal fundadas esperanças.

 

De amor não vi senão breves enganos.
Oh! quem tanto pudesse, que fartasse
Este meu duro Génio de vinganças!

 

Luís de Camões
 

 

publicado por Lagash às 16:15
link | comentar | favorito
Sábado, 21 de Junho de 2008

Dor

 

 

 

Que faz haver dor dentro de nós?

Impulsos externos ou internos

Ou ambos…

Seja excruciante

Irritante

Lancinante

Relaxante

Ou outra que a nós perante

Nos faça andar aos tombos,

Curvar o corpo, gritar aos infernos!

Queremos que nos deixe sós…

 

Porque razão existe, eis a questão!

É necessário encontrar a origem

O ponto fulcral…

Seja hereditária

Necessária

Diária

Embrionária

Ou outra de origem revolucionária

Seja de que sitio venha o mal,

Acabemos com as coisas que nos afligem!

Abandonar o sofrimento é a nossa obrigação…

 

O ponto a ver como remediar

Iluministica ou empiricamente

É premente a acção…

Seja interventiva

Coerciva

Evasiva

Invasiva

Ou outra pura e simplesmente passiva

Sem duvida temos que lhe por a mão

De uma forma brusca ou suavemente

Não há maneira de evitar

 

Pensaremos porém, sempre

Que outro remédio podia ter sido melhor

Mas o que é certo é mesmo que não…

Tenha matado

Estropiado

Invalidado

Inabilitado

Ou por outra forma adulterado

A verdade é que usando a razão

Não agir quando tortura o sofredor

É bem pior e é demente.

 

Mário L. Soares

 

publicado por Lagash às 12:55
link | comentar | favorito

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Dor

Mais que o teu corpo

Quantas vezes, Amor, me t...

Erros meus, má fortuna, a...

Dor

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

blogs SAPO

subscrever feeds