Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009

Quem morre

 

(barco abandonado - desconheço o autor da foto) 

 

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve

música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se

deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do habito,

repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de

marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com

quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro

sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento de um

redemoinho de emoções justamente as que resgatam o brilho dos

olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o

seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir

atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na

vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má

sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projecto antes de iniciá-lo,

não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde

quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar

vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de

respirar.

Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio

esplêndido de felicidade.

 

Pablo Neruda

 

publicado por Lagash às 16:22
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Leonor a 7 de Janeiro de 2009 às 17:08
Tão simples e ... tão verdadeiro!!
De inoutyou a 7 de Janeiro de 2009 às 22:34

Caro Mário,
Bonito poema, mas a razão de lhe escrever tem a ver com um prémio da blogosfera que acho merece por inteiro: Ver http://inoutyou.blogs.sapo.pt/,

Abraço
Alex
De Anónimo a 8 de Janeiro de 2009 às 11:56
Amigo Mário,
muito bonito e muito verdadeiro, e acentou-me como uma luva. foi como se estivesse dirigido a mim...
Mais tarde vais perceber, e lembrar-te do "Quem morre"
beijoca grande
De Isa_ a 8 de Janeiro de 2009 às 21:05
morre quem escreve sobre a morte s saber o q ela é!
De Lagash a 10 de Janeiro de 2009 às 15:03
Por acaso tu sabes sobre a morte?

E para tua informação, este "morre" é uma figura de estilo linguistica que pode significar entre outras coisas "estagnar" ou o antónimo de evoluir.

Além disso Pablo Neruda (é o autor deste texto sabes?) já morreu - em 1973 (por sinal antes de nasceres) e até escreveu muitas coisas interessantes, que um dia se saires debaixo da pedra onde vives poderás explorar e descobrir...

(mas para que é que estou a perder o meu tempo contigo)

Volta para a sala - daqui a pouco começa o "preço certo" e tu não podes perder! É o teu guru.

Cumprimentos

Comentar post

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Pausa

Hora Nostálgica #33 - Eve...

Acordar

Amor, pois que é palavra ...

Sol

Perdoa-me

Hora Nostálgica #32 - Boh...

Morte

Futuro

Bebido o luar

A meu favor

Viverei

Hora Nostálgica # 31 - Dr...

Reveses

Momentos etéreos em conte...

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

Prémios

Users Online
free counters
blogs SAPO

subscrever feeds