Domingo, 14 de Dezembro de 2008

Primeiro dia

 

 

 

A princípio é simples anda-se sozinho

passa-se nas ruas bem devagarinho

está-se bem no silêncio e no borborinho

bebe-se as certezas num copo de vinho

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

 

Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo

dá-se a volta ao medo e dá-se a volta ao mundo

diz-se do passado que está moribundo

bebe-se o alento num copo sem fundo

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

 

E é então que amigos nos oferecem leito

entra-se cansado e sai-se refeito

luta-se por tudo o que se leva a peito

bebe-se e come-se se alguém nos diz bom proveito

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

 

Depois vem cansaços e o corpo fraqueja

olha-se para dentro e já pouco sobeja

pede-se o descanso por curto que seja

apagam-se duvidas num mar de cerveja

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

 

E enfim duma escolha faz-se um desafio

enfrenta-se a vida de fio a pavio

navega-se sem mar sem vela ou navio

bebe-se a coragem até dum copo vazio

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

 

Entretanto o tempo fez cinza da brasa

outra maré cheia virá da maré vaza

nasce um novo dia e no braço outra asa

brinda-se aos amores com o vinho da casa

e vem-nos à memória uma frase batida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

 

Sérgio Godinho

publicado por Lagash às 16:19
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Carlota a 15 de Dezembro de 2008 às 10:42
Gosto imenso!

Comentar post

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Pausa

Hora Nostálgica #33 - Eve...

Acordar

Amor, pois que é palavra ...

Sol

Perdoa-me

Hora Nostálgica #32 - Boh...

Morte

Futuro

Bebido o luar

A meu favor

Viverei

Hora Nostálgica # 31 - Dr...

Reveses

Momentos etéreos em conte...

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

Prémios

Users Online
free counters
blogs SAPO

subscrever feeds