Terça-feira, 10 de Junho de 2008

Continuo aqui...

 

 

 

Continuo aqui…

Sem te ver…

Nem a ti, nem a ti…

Nem ao que te quero, nem ao que abomino…

 

Porque tenho de desafiar e estar?

Poderei ser feliz e encontrar?

Estar, trabalhar, namorar, amar,

viver, ser.

 

Posso entrar?

Entre sim senhor!

Onde estou?

Num local que nem é cá nem lá…

Está no limite do limite da imaginação…

“É difícil imaginar…”

Eu tenho boa imaginação, tente…

Não vai conseguir….

 

Para já, diga-me porque estou de pernas para o ar?

Porque razão todos têm cara de chineses amuados

e que saíram de um filme triste?

Porque carga de água estou eu no metro?

 

Para onde vou eu?

O que é que me segura o pé?

O que me segura?

 

A vida…

A minha…

A dos outros…

Há mais…

Há outros…

Há vidas… belas e coloridas…

Valem a pena ser vividas,

Valem a nossa vida pela delas…

 

É troca, é isso?...

Não, não me parece, será apenas um simples truque de complicada transcendência voyeurista, bah! Nada de mais…

 

Vou continuar aqui estando,

Sinto pingos no nariz.

 

Sabe bem… pingo mas estou seguro.

Largo tudo, limpo tudo, sinto-me limpo e nu.

Como estou nu tenho frio e vergonha…

Há olhares de chinesinhos por todos os lados…

Mas todos vamos nus ao fim ao cabo.

 

E afinal é de pé. Mas para onde…

Será mais pra cá, mais pra lá?

Será que tudo é uma pintura?

Não passo eu de riscos de pincel?

Ou então… não há nada! Também pode ser…

Somos espectros de um conjunto de pensamentos

etéreos e surreais de outra personagem ainda mais

etérea e surreal, quase Hollywoodesca, misto de

Spielberg, com Tarantino, Almodovar, e Hitcock…

 

É! O mais provável - é não existir…

Quando era miúdo pensava isso

Agora, talvez seja isso mesmo,

Não há eu… Há só máquina…

Movimento e falta de forma…

Nada no fundo…

Tudo no geral e etéreo…

 

Nada…

 

 

Mário L. Soares

 

publicado por Lagash às 12:57
link do post | comentar | favorito
|

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Pausa

Hora Nostálgica #33 - Eve...

Acordar

Amor, pois que é palavra ...

Sol

Perdoa-me

Hora Nostálgica #32 - Boh...

Morte

Futuro

Bebido o luar

A meu favor

Viverei

Hora Nostálgica # 31 - Dr...

Reveses

Momentos etéreos em conte...

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

Prémios

Users Online
free counters
blogs SAPO

subscrever feeds