Terça-feira, 30 de Setembro de 2008

Recordação

 

 

Eu bem sei

Que rodo em muitas esferas

E não sei

Por onde me levas, poesia.

Quando vou,

E não encontro ninguém,

Tenho medo do que sei:

Um filho de sua mãe

E seu pai,

Ou algum longínquo avó,

A quem um poeta sai.

Será também o Deus da infância

E a árvore sagrada

De frutos proibidos,

Na fragrância

Com que rasguei meus vestidos

E não retirei os ninhos...

 

Enchi de rosas a terra

E levo nas mãos espinhos.

 

Afonso Duarte

publicado por Lagash às 16:20
link do post | comentar | favorito
|

Paul Newman

A um grande actor que passou a um oriente superior...

 

Rest In Peace...

 

 

 

 

publicado por Lagash às 10:31
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008

Apelo à Poesia

 

 

Por que vieste? — Não chamei por ti!

Era tão natural o que eu pensava,

(Nem triste, nem alegre, de maneira

Que pudesse sentir a tua falta... )

E tu vieste,

Como se fosses necessária!

 

Poesia! nunca mais venhas assim:

Pé ante pé, covardemente oculta

Nas ideias mais simples,

Nos mais ingénuos sentimentos:

Um sorriso, um olhar, uma lembrança...

— Não sejas como o Amor!

 

É verdade que vens, como se fosses

Uma parte de mim que vive longe,

Presa ao meu coração

Por um elo invisível;

Mas não regresses mais sem que eu te chame,

— Não sejas como a Saudade!

 

De súbito, arrebatas-me, através

De zonas espectrais, de ignotos climas;

E, quando desço à vida, já não sei

Onde era o meu lugar...

Poesia! nunca mais venhas assim,

— Não sejas como a Loucura!

 

Embora a dor me fira, de tal modo

Que só as tuas mãos saibam curar-me,

Ou ninguém, se não tu, possa entender

O meu contentamento,

Não venhas nunca mais sem que eu te chame,

— Não sejas como a Morte!

 

Carlos Queirós

 

publicado por Lagash às 16:14
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 28 de Setembro de 2008

Heart-Shaped Box

 

 

 

 

She eyes me like a pisces when I am weak
I've been locked inside your Heart Shaped box, for weeks
I've been drawn into your magnet tar pit trap
I wish I could eat your cancer when you turn black

Hey!
Wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
hey
wait
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
Hey!
Wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice

...your advice

Meat-eating orchids forgive no one just yet
Cut myself on Angel Hair and baby's breath
Broken hymen of your highness I'm left black
Throw down your umbilical noose so I can climb right back

Hey!
Wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
hey!
Wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
Hey!
Wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
...Your advice

She eyes me like a pisces when I am weak
I've been locked inside your Heart-Shaped box for weeks
I've been drawn into your magnet tar pit trap
I wish I could Eat your cancer when you turn black

Hey!
Wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
hey!
wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
Hey!
Wait!
I've got a new complaint
Forever in debt to your priceless advice
Your advice
Your advice
Your advice

 

Nirvana

 

 

 
publicado por Lagash às 16:05
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 27 de Setembro de 2008

Black hole sun

 

 

 

 

 

In my eyes
Indisposed
In disguise
As no one knows
Hides the face
Lies the snake
The sun
In my disgrace
Boiling heat
Summer stench
neath the black
The sky looks dead
Call my name
Through the cream
And Ill hear you
Scream again

Black hole sun
Wont you come
And wash away the rain
Black hole sun
Wont you come
Wont you come

Stuttering
Cold and damp
Steal the warm wind
Tired friend
Times are gone
For honest men
And sometimes
Far too long
For snakes
In my shoes
A walking sleep
And my youth
I pray to keep
Heaven send
Hell away
No one sings
Like you
Anymore

Hang my head
Drown my fear
Till you all just
Disappear

 

Soundgarden

 

 

 
publicado por Lagash às 16:00
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Setembro de 2008

Easy

 

 

 

 

Know it sounds funny but I just cant stand the pain
Girl I’m leaving you tomorrow
Seems to me girl you know I’ve done all I can
You see I begged, stole and I borrowed
Yeah
That’s why I’m easy
I’m easy like Sunday morning
That’s why I’m easy
I’m easy like Sunday morning
I wanna be high
So high
I wanna be free to know the things I do are right
I wanna be free
Just me
Oh baby
That’s why I’m easy
I’m easy like Sunday morning
That’s why I’m easy
I’m easy like Sunday morning

 

Faith No More

 

 

 
publicado por Lagash às 16:17
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 25 de Setembro de 2008

Bed of roses

 

 

 

Sitting here wasted and wounded
at this old piano
Trying hard to capture
the moment this morning I don't know
'Cause a bottle of vodka
is still lodged in my head
And some blond gave me nightmares
I think she's still in my bed
As I dream about movies
they won't make of me when I'm dead
 
With an ironclad fist I wake up and
French kiss the morning
While some marching band keeps
its own beat in my head
While we're talking
About all of the things that I long to believe
About love, the truth and
what you mean to me
And the truth is baby you're all that I need
 
I want to lay you on a bed of roses
For tonight I sleep on a bed on nails
I want to be just as close as the Holy Ghost is
And lay you down on bed of roses
 
Well I'm so far away
That each step that I take is on my way home
A king's ransom in dimes I'd given each night
Just to see through this payphone
Still I run out of time
Or it's hard to get through
Till the bird on the wire flies me back to you
I'll just close my eyes and whisper,
baby blind love is true
 
I want to lay you down on a bed of roses
For tonight I sleep on a bed on nails
I want to be just as close as the Holy Ghost is
And lay you down on bed of roses
 
The hotel bar hangover whiskey's gone dry
The barkeeper's wig's crooked
And she's giving me the eye
I might have said yeah
But I laughed so hard I think I died
 
When you close your eyes
Know I'll be thinking about you
While my mistress she calls me
To stand in her spotlight again
Tonight, I won't be alone
But you know that don't
Mean I'm not lonely I've got nothing to prove
For it's you that I'd die to defend
 
I want to lay you down on a bed of roses
For tonight I sleep on a bed on nails
I want to be just as close as the Holy Ghost is
And lay you down on bed of roses

 

Bon Jovi

 

 

 
publicado por Lagash às 16:25
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008

O insecto

 

 

Das tuas ancas aos teus pés
quero fazer uma longa viagem.

 

Sou mais pequeno que um insecto.
Percorro estas colinas,
são da cor da aveia,
têm trilhos estreitos
que só eu conheço,
centímetros queimados,
pálidas perspectivas.
Há aqui um monte.
Nunca dele sairei.
Oh que musgo gigante!
E uma cratera, uma rosa
de fogo humedecido!

 

Pelas tuas pernas desço
tecendo uma espiral
ou adormecendo na viagem
e alcanço os teus joelhos
duma dureza redonda
como os ásperos cumes
dum claro continente.

 

Para teus pés resvalo
para as oito aberturas
dos teus dedos agudos,
lentos, peninsulares,
e deles para o vazio
do lençol branco
caio, procurando cego
e faminto teu contorno
de vaso escaldante!

 

Pablo Neruda

 

publicado por Lagash às 16:08
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 23 de Setembro de 2008

Elevação

 

 

Para além dos horizontes,

Haverá casas, campos e montes

Para cá do fim dos mundos,

Estão os verdes fecundos…

 

A vida procria, é contínua, natural

E vai por aí fora, p’los dias normal,

Segue o escrito e a pedra, só, marca,

Vem sobre nós e açambarca…

 

Domina o que deve ser verde,

Abraça o que é belo e perde

Tudo, e em harmonia sufoca,

Não liberta o que ela provoca.

 

Sente-se o que se sente

Mas nunca o temos de presente,

Fazemos o melhor que podemos,

Somos o que ela nos diz e não queremos.

 

Vamos pelo caminho que indica,

Reparamos que a vida prevarica…

É tarde e estamos para cá do norte…

Não vemos e vamos com vida à morte.

 

Renascemos, então, para uma coisa nova…

Que coisa boa, sim, vejo para fora da cova!

Céu azul e perfume, sou elevado

Dum fundo para um relvado…

 

Tenho novos olhos e não temo a morte,

Sei o que sou, para onde vou e a minha sorte.

Tenho um novo caminho conhecido…

Pergunto-me o que faria e que morte teria, se não tivesse renascido?

 

Mário L. Soares

(pintura de Cynthia Breusch "Flying Man #1")

 

publicado por Lagash às 16:19
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 22 de Setembro de 2008

Never say goodbye

 

 

As I sit in this smoky room
The night’s about to end
I pass my time with strangers
But this bottle’s my only friend

Remember when we used to park
On butler street out in the dark
Remember when we lost the keys
And you lost more than that in my backseat, baby

Remember when we used to talk
About busting out – we’d break their hearts
Together - forever

Never say goodbye, never say goodbye
You and me and my old friends
Hoping it would never end
Never say goodbye, never say goodbye
Holdin’ on - we got to try
Holdin’ on to never say goodbye

Remember days of skipping school
Racing cars and being cool
With a six pack and the radio
We didn’t need no place to go

Remember at the prom that night
You and me we had a fight
But the band they played our favorite song
And I held you in my arms so strong

We danced so close
We danced so slow
And I swore Id never let you go
Together - forever

Never say goodbye, never say goodbye
You and me and my old friends
Hoping it would never end
Never say goodbye, never say goodbye
Holdin’ on - we got to try
Holdin’ on to never say goodbye

I guess you’d say we used to talk
About busting out
We’d break their hearts
Together – forever

 

Bon Jovi

 

publicado por Lagash às 16:10
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 21 de Setembro de 2008

Hey you

 

 

Hey you, out there in the cold
Getting lonely, getting old
Can you feel me?
Hey you, standing in the aisles
With itchy feet and fading smiles
Can you feel me?
Hey you, dont help them to bury the light
Don't give in without a fight.

Hey you, out there on your own
Sitting naked by the phone
Would you touch me?
Hey you, with you ear against the wall
Waiting for someone to call out
Would you touch me?
Hey you, would you help me to carry the stone?
Open your heart, I'm coming home.

But it was only fantasy.
The wall was too high,
As you can see.
No matter how he tried,
He could not break free.
And the worms ate into his brain.

Hey you, out there on the road
always doing what you're told,
Can you help me?
Hey you, out there beyond the wall,
Breaking bottles in the hall,
Can you help me?
Hey you, don't tell me there's no hope at all
Together we stand, divided we fall.

 

Pink Floyd

 

publicado por Lagash às 16:05
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 20 de Setembro de 2008

Bonita

 

 

Primeiro foram as mãos que me disseram
que ali havia gente de verdade
depois fugi-te pelo corpo acima
medi-te na boca a intensidade
senti que ali dentro havia um tigre
naquele repouso havia movimento
olhei-te e no sol havia pedras
parámos ambos como se parasse o tempo
parámos ambos como se parasse o tempo

é tão difícil encontrar pessoas assim bonitas
é tão difícil encontrar pessoas assim bonitas

atrevi-me a mergulhar nos teus cabelos
respirando o espanto que me deras
ali havia força havia fogo
havia a memória que aprenderas
senti no corpo todo um arrepio
senti nas veias um fogo esquecido
percebemos num minuto a vida toda
sem nada te dizer ficaste ali comigo
sem nada te dizer ficaste ali comigo

é tão difícil encontrar pessoas assim bonitas
é tão difícil encontrar pessoas assim bonitas

falavas de projectos e futuro
de coisas banais frivolidades
mas quando me sorriste parou tudo
problemas do mundo enormidades
senti que um rio parava e o nevoeiro
vestia nos teus dedos capa e espada
queria tanto que um olhar bastasse
e não fosse no fundo preciso
queria tanto que um olhar bastasse
e não fosse preciso dizer nada

é tão difícil encontrar pessoas assim bonitas
é tão difícil encontrar pessoas assim pessoas

 

 

 

Pedro Barroso

 

publicado por Lagash às 16:06
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Setembro de 2008

Comfortably Numb

 

 

 

 

 

Hello.
Is there anybody in there?
Just nod if you can hear me.
Is there anyone home?

Come on, now.
I hear you’re feeling down.
Well I can ease your pain,
Get you on your feet again.

Relax.
I need some information first.
Just the basic facts:
Can you show me where it hurts?

There is no pain, you are receding.
A distant ships smoke on the horizon.
You are only coming through in waves.
Your lips move but I cant hear what you’re sayin.
When I was a child I had a fever.
My hands felt just like two balloons.
Now I got that feeling once again.
I cant explain, you would not understand.
This is not how I am.
I have become comfortably numb.

Ok.
Just a little pinprick. [ping]
There’ll be no more --aaaaaahhhhh!
But you may feel a little sick.

Can you stand up?
I do believe its working. good.
That’ll keep you going for the show.
Come on its time to go.

There is no pain, you are receding.
A distant ships smoke on the horizon.
You are only coming through in waves.
Your lips move but I cant hear what you’re sayin.
When I was a child I caught a fleeting glimpse,
Out of the corner of my eye.
I turned to look but it was gone.
I cannot put my finger on it now.
The child is grown, the dream is gone.
I have become comfortably numb.

 

Pink Floyd

 

 

 
publicado por Lagash às 16:21
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Setembro de 2008

Rebordos de morango

 

 

Rebordos de morango,

Mastigados de manteiga

Migalhas de biscoito na correia

Esborratas de molho de frango.

 

Beijos com os lábios doridos

Dentes que batem no canino

Sorriso de embaraço clandestino

Abraços em peitos sentidos.

 

Poesia de um qualquer meio perdido,

Palavras sem lugar mal proferidas,

Mãos, elas, vendidas ao destino.

 

Vidas, já vividas, por caminhos magoadas,

Não têm força, têm medo,

Do amor, e das comidas, já suadas…

 

Mário L. Soares

 

publicado por Lagash às 16:16
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 17 de Setembro de 2008

Wish you were here

 

 

 

 

So, so you think you can tell
Heaven from Hell,
Blue skys from pain.
Can you tell a green field
From a cold steel rail?
A smile from a veil?
Do you think you can tell?

And did they get you to trade
Your heros for ghosts?
Hot ashes for trees?
Hot air for a cool breeze?
Cold comfort for change?
And did you exchange
A walk on part in the war
For a lead role in a cage?

How I wish, how I wish you were here.
We're just two lost souls
Swimming in a fish bowl,
Year after year,
Running over the same old ground.
What have we found?
The same old fears.
Wish you were here.

 

Pink Floyd

(em homenagem a Richard Wright que faleceu de cancro dia 15 de Setembro de 2008)

 

 

publicado por Lagash às 16:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Pausa

Hora Nostálgica #33 - Eve...

Acordar

Amor, pois que é palavra ...

Sol

Perdoa-me

Hora Nostálgica #32 - Boh...

Morte

Futuro

Bebido o luar

A meu favor

Viverei

Hora Nostálgica # 31 - Dr...

Reveses

Momentos etéreos em conte...

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

Prémios

Users Online
free counters
blogs SAPO

subscrever feeds