Terça-feira, 13 de Outubro de 2009

Milagre de Fátima

 

 

Ao meio dia de 13 de Outubro de 1917, deu-se o milagre do sol, que, segundo os pastorinhos, já tinha sido anunciado anteriormente pela virgem aparecida. O milagre em que o sol “baixou” e chegou perigosamente perto das cabeças dos presentes, e depois circundou a região e regressando ao seu lugar, foi presenciado por mais de 70.000 pessoas na Cova da Iria em Fátima.

 

 

 

Independentemente da discutível veracidade do acontecido, que, como se sabe, divide opiniões (e não cabe a mim tomar partido em tal), marcou a região, o país, a época, e o mundo religioso. Repercutiu-se durante décadas no nosso país e no estrangeiro e marcou o então lema de vida portuguesa – entre futebol e fado, tínhamos Fátima para completar os famosos 3 f’s portugueses. Felizmente evoluímos desde então, mas, cabe agora recordar o que é a nossa história e o que é a nossa crença colectiva.

 

 

 

Além disso, o eterno santo padre contemporâneo, o papa João Paulo II, que tomou parte activa nas premonições da virgem de Fátima, deixou a bala do atentado perpetrado no dia 13 de Maio de 1981 (aniversário da primeira aparição de Fátima) contra si no altar de Maria. O que adiciona história, ainda mais misticismo, mistério e o cunho directo do maior representante do catolicismo.  

 

 

Fátima foi e é, um destino religioso e turístico, com indiscutível mística, que contagia mesmo os não religiosos. Os actuais monumentos erigidos no local das aparições e arredores, têm tal imponência que transmite ao nosso consciente e subconsciente uma mensagem de paz e calma.

 

Se ainda não visitaram – visitem. Mesmo que não tenham prometido nada, mesmo que não seja em peregrinação, mesmo não sendo católicos ou religiosos.

 

Mário L. Soares

 

“Nenhum testemunho é suficiente para demonstrar um milagre, a não ser que o testemunho seja de natureza tal que a sua falsidade seja mais milagrosa do que o facto que tenta demonstrar.”

 

David Hume

 

in Dos Milagres – 1748

 

 

publicado por Lagash às 16:28
link do post | comentar | favorito
|

Declaração

Declaro que a responsabilidade de todos os textos / poesia / prosa publicados é minha no respeitante à transcrição dos mesmos. Faço todos os possíveis para contactar o(s) autor(es) dos trabalhos a fim de autorizarem a publicação, na impossibilidade de o fazer, caso assim o entenda o autor ou representante legal deverá contactar-me a fim de que o mesmo seja retirado - o que será feito assim que receba a informação. Os trabalhos assinados "Mário L. Soares" são de minha autoria e estão protegidos com a lei dos direitos de autor vigente. Quanto às fotografias, todas, cujo autor não esteja identificado, são de "autor desconhecido" - caso surja o respectivo autor de alguma, queira por favor contactar-me para proceder à sua identificação e se for caso disso retirada do blog. Às restantes fotografias aplicarei o mesmo princípio dos trabalhos escritos. Obrigado. Mário L. Soares - lagash.blog@sapo.pt

mais sobre mim

procurar em Lagash

 

Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Pausa

Hora Nostálgica #33 - Eve...

Acordar

Amor, pois que é palavra ...

Sol

Perdoa-me

Hora Nostálgica #32 - Boh...

Morte

Futuro

Bebido o luar

A meu favor

Viverei

Hora Nostálgica # 31 - Dr...

Reveses

Momentos etéreos em conte...

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

tags

todas as tags

links

Prémios

Users Online
free counters
blogs SAPO

subscrever feeds